fbpx

Saiu a Carta Anual de Warren Buffett aos acionistas!

Bem…na verdade, a carta é da Berkshire, mas é assinada pelo Warren Buffett, seu Chefe-Executivo há mais de 50 anos!

Já no ano anterior analisei as principais ideias a reter da Carta, e este ano farei o mesmo.

Aliás…espero poder partilhar contigo as ideias de investimento do Warren Buffett todos os anos!

Temos sempre muito a aprender com as suas Cartas

E por isso trago-te neste artigo os principais tópicos abordados na Cara.

Organizei-os por 7 pontos, para assim ser mais fácil digerires a informação.

 

 

1. Desempenho da Berkshire Hathaway

Desde que Warren Buffett comprou a empresa têxtil e a transformou num conglomerado diversificado de empresas dos mais variados setores, o desempenho da Berkshire foi absolutamente esmagador!

A rentabilidade anualizada da empresa desde 1965 a 2020 é de 20%/ano, o que contrasta com a do S&P500 que conseguiu 10.2%/ano (ainda assim bastante considerável face a outras opções de investimento, como falaremos mais à frente).

Para tu veres a diferença que faz, 1000€ investidos em 1965 teriam sido transformados em 28.1 milhões de euros!!! (uma rentabilidade acumulada de 2.810.526%!!!)

Um desempenho bem superior ao que terias conseguido com o S&P500 (235.540€, ou uma rentabilidade acumulada de 23.454%).

 

 

2. Erros admitidos

Em primeiro lugar, Warren admitiu que não fez nenhuma aquisição relevante em 2020 e os lucros operacionais da empresa diminuíram 9% face a 2019, o que desapontou muitos investidores na empresa (nota: uma vez mais reiterou que a métrica que conta mais para ele na Demonstração de Resultados são os lucros operacionais).

No entanto, afirmou que o valor intrínseco das ações da Berkshire aumentou, pois a recompra de ações (que representaram 5% da capitalização bolsista da empresa) fez aumentar esse valor (falaremos deste ponto mais à frente).

 

Admitiu também que pagou demais pela Precision Castparts (PCC) em 2016 ($11 biliões).

Disse que se entusiasmou com a perspetiva dos lucros futuros e que acabou por pagar demasiado pela empresa.

Não é o seu primeiro erro, mas considera-o um grande erro.

 

Estranhamente, não falou sobre as vendas das posições nas companhias aéreas.

É verdade que já tinha referido no Encontro Anual de 2020 (podes ver o resumo aqui), mas senti falta de uma explicação por escrito sobre o tema.

 

 

3. Conglomerados e joias da coroa

Warren não vê a Berkshire como um típico conglomerado.

O seu foco não é controlar outros negócios e substituir a antiga administração, mas sim comprar parcial ou totalmente negócios excecionais bem geridos.

Warren e Charlie Munger (seu parceiro na Berkshire) não querem ter muito trabalho nas decisões empresariais das empresas. Apenas querem injetar dinheiro nesses negócios excecionais, deixar a gestão a atuar, e lucrar com os seus resultados ao longo dos anos.

Apesar de deter posições em dezenas de empresas, a maioria está concentrada naquilo que ele chamou das 4 joias da coroa.

 

A primeira joia da coroa é o negócio da seguradora, que gera mais capital do que aquele que tem de libertar.

Aliás, estou em crer que as seguradoras são dos melhores negócios (se não mesmo o melhor) que há.

Pois há um fluxo de dinheiro mensal (são milhões de euros a entrar mensalmente nas empresas com seguros de casa, automóvel, acidentes pessoais, etc.) e quase nunca sai (e mesmo quando tem de sair, já sabemos os entraves que as seguradoras nos colocam para libertar esse dinheiro).

Mas a melhor parte do negócio da seguradora é que a Berkshire consegue investir o dinheiro dos segurados em Ações, algo que a maioria das seguradoras a nível global não consegue (só consegue em Obrigações, pois as regras para os negócios das seguradoras são diferentes dos conglomerados, e Warren tem aqui uma grande vantagem).

 

E neste campo, Warren adicionou um comentário que vem corroborar o que tenho vindo a dizer: as Obrigações são um péssimo investimento neste momento!

A verdade é que as Obrigações de Estados estão a render 0% na maioria dos países (e em alguns, como a Alemanha ou o Japão, ainda és tu que pagas pelo “privilégio” de emprestar dinheiro ao governo por 10 anos).

Só nos EUA, a rentabilidade das Obrigações caiu 94% desde 1981!!!

Nessa altura havia Obrigações a render 15.8%.

Hoje rendem 0% ou 0.5%, péssimo, péssimo, péssimo!

E esta é a grande vantagem da Berkshire face a outras seguradoras: conseguir investir em ativos que rentabilizam verdadeiramente o nosso capital (as Ações), enquanto a concorrência tem de se limitar a investir em produtos que não rendem (as Obrigações).

 

A segunda joia da coroa é o negócio da ferrovia: a BNSF Railway.

Esta é a segunda maior empresa dos EUA em número de linhas de comboio e locomotivas.

A Berkshire comprou a totalidade da empresa em 2009, aquando da Crise Financeira Mundial.

berkshire hathaway carta anual 2020

Linhas férreas pertencentes à BNSF Railway.

 

Warren Buffett considera a terceira joia da coroa a posição de 5.4% que detêm da Apple.

Esta é uma posição relevante numa empresa que hoje vale mais de um trilião de dólares.

 

E por último, a quarta joia da coroa é a posição de 91% da Berkshire Hathaway Energy, uma empresa de Serviços de Utilidade Pública (Utilities) que cresceu dos $122 milhões para $3.4 biliões em 21 anos.

Este investimento representa um crescimento de 27x!!!

A importância de investir a longo prazo está aqui bem patente!

Mantém os teus investimentos por 20 ou mais anos e verás algumas ações a ter estes níveis de crescimento!

 

4. Recompra de ações da Berkshire Hathaway

Durante 2020, a Berkshire Hathaway recomprou $24.7 biliões em ações da própria empresa, o que aumentou a posição dos acionistas na Berkshire (e nos negócios todos que a empresa detém) em 5.2% sem terem de gastar um cêntimo adicional.

Percebes agora a importância da recompra de ações?

Estou sempre a batalhar nesta ideia, pois quando uma empresa recompra ações próprias, nós aumentamos a nossa posição na empresa sem gastar um único cêntimo!

Claro que é preciso fazê-lo aos preços corretos, e Warren voltou a salientar isso nesta carta.

Aliás, ele é um crítico dos empresários que recompram ações das empresas a qualquer preço, independentemente do seu valor intrínseco.

Ou pior… aqueles que recompram mais ações quando elas estão sobreavaliadas e não aproveitam as alturas em que elas estão subavaliadas para aumentar o valor da empresa.

Aliás, podes ver na figura abaixo que a maioria da recompra de ações é feita, infelizmente, nas alturas em que os mercados estão mais sobreaquecidos, e é esfriada quando os mercados estão deprimidos (e as ações ofereciam ótimos preços face ao seu valor intrínseco).

Repara que tanto em 2008-2009 como em 2020, quando os preços estavam mais deprimidos e a oportunidade de valorizar os acionistas era maior, as empresas do S&P500 recompraram menos ações.

Ou como compraram mais quando o otimismo era generalizado e os preços das ações estavam esticados (2006-2007; 2018-2019).

carta anual aos acionistas berkshire sp500 buybacks

Fonte: Standard & Poor’s

 

Neste campo da recompra de ações, Warren deu ainda o exemplo da Apple.

Como a Apple tem vindo a recomprar ações a um ritmo acelerado nos últimos anos, os acionistas da Berkshire detêm agora mais 10% da empresa do que quando Warren a comprou em 2016.

É ou não é fantástica a recompra de ações?

 

 

5. Negócios – o verdadeiro motor da economia

Warren voltou a referir como os negócios são o que move verdadeiramente uma economia.

Como os empreendedores são o motor de uma sociedade!

Na Carta, Warren mostrou como os EUA são uma autêntica incubadora de negócios excecionais que fizeram o país prosperar.

Deu vários exemplos de negócios extraordinários criados na mente de empreendedores que, muitas vezes sem dinheiro algum, criaram produtos e serviços que impactaram positivamente milhões de pessoas espalhadas pelo mundo.

Mostrou ainda um ou outro caso de negócios que foram criados por emigrantes que nem inglês falavam, mas cujas ideias excecionais, trabalho árduo, dedicação e perseverança levaram-nos à riqueza e à prosperidade!

Nos 232 anos de história dos EUA, o sucesso de libertar capital humano está à vista!

O país é mesmo um ótimo lugar para criar negócios e prosperar.

E neste tema… Warren ainda voltou a dizer a sua já célebre frase “Never bet against America”

Na minha mais sincera opinião, este é um aviso não apenas àqueles que desacreditam nos EUA, mas principalmente àqueles que apostam na queda das ações das empresas, através de operações de Short-Selling.

Para mim, esta foi uma crítica aos Fundos de Investimento (Hedge Funds) que fazem short-selling com frequência, o que não adiciona valor aos seus investidores.

 

 

6. Uma carreira de investimentos

Antes de comprar a Berkshire, Warren geria o dinheiro de outras pessoas a partir de uma série de parcerias (Partnerships – semelhante a Fundos de Investimento).

A primeira que constituiu foi em 1956 e em 1962 uniu as 12 que controlava numa só: a Buffett Partnership Ltd. (BPL).

Nessa altura, praticamente todo o seu dinheiro e o da sua mulher estava investido na BPL.

Warren não tinha um salário e não recebia comissões avultadas (como acontece, infelizmente, com muitos gestores de Fundos de Investimento que recebem comissões e salários chorudos para terem uma performance medíocre ou mesmo desfavorável para os seus investidores).

Neste tempo, Warren só recebia depois dos restantes investidores na Partnership e somente se obtivesse rentabilidades superiores a 6% (o que aconteceu praticamente todos os anos).

Enfim… uma forma de ter a pele em jogo… de ter os interesses dos investidores na Partnership alinhados com os seus.

 

Neste campo dos investimentos referiu ainda que os ETFs compram as ações pelo tamanho das empresas, independentemente do valor real dessas empresas.

Como há regras rígidas para os ETFs, estes são obrigados a comprar empresas de elevada capitalização bolsista, como aconteceu em 2020 com a Tesla.

Mesmo que as ações da empresa que adicionam ao índice estejam sobreavaliadas, os ETFs simplesmente compram.

Enfim… precauções que devemos considerar quando investimos em ETFs.

 

Avisou ainda que ativos produtivos como quintas, casas e negócios são o que produz verdadeira riqueza.

A maioria dos seus proprietários vai ser presenteada com muita riqueza acumulada ao longo dos anos.

Tudo o que eles precisam é da passagem do tempo, calma, uma boa diversificação e minimizar ao máximo as transações e as taxas pagas!

É importante salientar isto que Warren disse, e por isso escrevo a negrito e com maiúsculas:

OS INVESTIDORES NUNCA DEVEM ESQUECER QUE AS SUAS DESPESAS SÃO OS GANHOS DE WALL STREET!

Relê a frase acima o número de vezes que for necessária… pois é importante que aprendas isto!

Quanto mais vezes operares… quanto mais ações comprares e venderes… mais comissões vais pagar às corretoras, bancos de investimento, agentes de liquidez (Market Makers), e a todo o conjunto de empresas que em Wall Street operam CONTRA ti!

Uma grande mensagem, principalmente numa altura em que o longo prazo para muitos investidores parece ser de apenas alguns meses.

Espanta-me ver investidores a deter ações por apenas meia dúzia de meses ou, por vezes, apenas alguns dias!

Quanto Warren Buffett e outros super-investidores têm algumas empresas na sua carteira há mais de 30 anos!

Aproveito este artigo para voltar a dizê-lo: foco no longo prazo! É isso que te vai trazer a verdadeira riqueza!

 

 

7. Curiosidades finais

Houve ainda espaço para um conjunto de curiosidades finais.

Por exemplo, Warren ficou surpreendido por a Berkshire ser a maior proprietária de terras, equipamento e instalações nos EUA – detém um total de ativos avaliados em $154 biliões, acima da AT&T que detém $127 biliões.

 

Comentou ainda que os maiores resultados operacionais (e de rentabilidades sob os nossos investimentos) vêm de empresas que requerem poucos ativos com que conseguem gerar grandes margens, e que oferecem bens e serviços que vão expandir as suas vendas com um mínimo de capital adicional investido.

Mas que alguns negócios que requerem mais ativos também podem ser bons negócios… desde que comprados ao preço correto e que deixemos o tempo fazer o seu trabalho.

 

Por último, anunciou que o Encontro Anual da Berkshire este ano vai ser virtual, tal como foi no ano passado, mas…

A grande novidade é que Charlie Munger vai-se juntar a Warren Buffett para responder a perguntas (yeaaaaahhhh!!!)

No ano passado senti falta do humor apuradíssimo do Charlie, e este ano vamos ter os dois super-investidores juntos (mais o Ajit e o Greg) a responder a mais de quatro horas de perguntas.

 

Claro que eu vou acompanhar o evento, para depois te apresentar aqui um resumo… mas só se deixares um comentário favorável aqui em baixo 😊

Até porque compilar as principais ideias de Warren Buffett dá o seu trabalho… e preciso da tua força para conseguir trazer-te o melhor conteúdo 😊

Por isso, deixa aqui o teu comentário sobre esta Carta Anual e partilha com os teus amigos investidores que idolatram o Warren Buffett e precisam de ver este artigo que reuni para ti.

Fico à espera!

 

Espero que tenhas aprendido tanto com a Carta Anual como eu aprendi.

Aliás, creio que temos sempre muito a aprender com o maior investidor do mundo (20%/ano em cinco décadas é absolutamente fora-de-série!)

Vemo-nos no Encontro Anual da Berkshire!

 

Saudações lucrativas,

Frederico