Select Page

Quem se lembra de tirar fotos com as velinhas Kodak?

Quem não tem saudades de ir revelar o rolo de fotografias da Kodak, que tinham uma excelente qualidade, para depois descobrir que tínhamos queimado o rolo.

Claro que hoje tiras uma foto num segundo com o teu smartphone, mas há 20 anos atrás tirava-se fotos com umas máquinas fotográficas analógicas da Kodak.

Era uma boa empresa…na altura!

 

 

A Kodak é uma empresa centenária. Na verdade, tem mais de 130 anos de história, o que é absolutamente impressionante! Poucas são as empresas que chegam a este nível.

No entanto, como qualquer empresa, está sujeita a falir. E isto aconteceu em 2012, quando a Kodak entrou em bancarrota.

É uma pena ver uma empresa destas, que nos anos áureos empregava mais de 140 mil pessoas, atualmente só conseguir empregar perto de 5000 pessoas.

 

Mas não é sobre isto que te quero falar…

É sobre algo superior à falência daquela que outrora foi a rainha da fotografia…

 

Para tentar manter o trono no qual a Kodak estava há muitos anos (até não se atualizar e ver o seu negócio entrar em decaimento), a Kodak entrou na mania das criptomoedas.

Em janeiro de 2018 ano criou a KODAKCoin, uma criptomoeda que, nas palavras da companhia era “uma criptomoeda centrada em fotografia para empoderar os fotógrafos e as agências que precisam de um controlo maior sobre os direitos de imagem”.

Só que houve um problema…

A Bitcoin, a mãe de todas as criptomoedas e onde a CriptoBolha melhor se fez sentir, em dezembro de 2017 estava a subir 1800% só nesse ano (dos 864 dólares no início do ano para os $16721… antes de rebentar a Bolha no fim do ano).

A Kodak tentou entrar no mundo das criptomoedas em pleno pico da Bolha das Criptomoedas. Foi uma tentativa de dar projeção à companhia, de voltar ao estrelato…só que falhou redondamente!

A empresa tentou alinhar-se com o mundo digital em 2018, algo que se recusou a fazer durante anos…enquanto era ultrapassada pelos seus pares na fotografia digital. Passaram-se dois anos e a empresa já nem fala da KODAKCoin nos seus relatórios, de tal o fracasso que foi junto dos investidores.

 

Em julho de 2020 a Kodak volta a ficar nos holofotes da imprensa internacional. A Kodak anunciou que vai receber um empréstimo do governo norte-americano de cerca de 765 milhões de dólares para…espante-se…financiar o seu negócio farmacêutico!

 

Oi?

Como assim?

Negócio farmacêutico?

Mas a Kodak não é uma empresa de fotografia?

 

Calma! A história vai ficar ainda melhor…

 

 

Poderás estar a perguntar porque é que uma empresa de fotografia se interessaria pelo negócio farmacêutico.

Bem…porque não? Por vezes, as empresas quando estão desesperadas e foram ultrapassadas pela concorrência estas manobras – que acabam quase sempre mal.

A Kodak fez câmaras, rolos, filmes, porque não se envolver em criptomoedas e agora no desenvolvimento de produtos farmacêuticos?

É claro que estou a ser irónico, e acho uma jogada terrível da parte da Kodak. Deveriam era ter-se atualizado para o mundo digital há mais de uma década atrás!

Mas o CEO da empresa, Jim Continenza, disse que a Kodak vai produzir ingredientes farmacológicos ativos para medicinas genéricas. Referiu que a empresa tem uma longa história nos materiais químicos e que por isso fazia sentido.

 

Bem, para mim…não faz sentido nenhum! E para ti? Diz-me nos comentários.

 

Espanta-me que o governo dos EUA possa ter oferecido um empréstimo deste valor a uma empresa que opera noutro nicho de mercado.

Mas espanta-me ainda mais o comportamento que as ações da empresa tiveram em Bolsa!

Repare-se…

 

As ações da Kodak estavam a $2.62 no dia 27 de julho, o que colocava a empresa a valer em mercado perto de 115 milhões de dólares.

Dois dias depois, na quarta-feira, as ações fecharam a valer 60 dólares, projetando a capitalização bolsista da empresa para mais de $2.6 biliões!!!

A empresa multiplicou-se por 20x em apenas 3 dias!!! Subiu mais de 2000% em três dias!!! Isto são ganhos que qualquer um gostaria de ter, mas é pura lotaria

A empresa recuperou em 3 dias todo o valor que tinha perdido nos últimos 13 anos!!!

Em resumo, com um financiamento do governo norte-americano a empresa recuperou o valor perdido nos últimos 13 anos em apenas 3 dias, ofereceu um retorno de mais de 2000% fácil, e conseguiu superar a bolha em que a Tesla estava a viver em 2020.

 

 

Só para colocar as coisas em perspetiva… O governo emprestou 765 milhões de dólares a uma empresa que vale em mercado 100 milhões de dólares. São sete vezes mais de valor em crédito (debt) do que a empresa vale, o que é extremamente preocupante e prontifica a empresa a falir (novamente!).

A empresa não tem lucros para justificar este empréstimo, nem ativos que possa vender para pagar este empréstimo. Muito más notícias para quem investiu na empresa recentemente já depois de ela ter subido 2000%, com a esperança (vã) de ver o seu dinheiro também multiplicar por 20 vezes nos próximos dias.

Desengane-se quem acha que conseguirá ganhos desta ordem a seguir…pois há uma coisa que impera nos mercados (embora possa demorar mais ou menos tempo a fazer-se sentir): a reversão à média (mean reversion). A ação vai voltar aos níveis onde merecia estar, levando consigo biliões de dólares em perdas para quem entrou mal na ação.

 

 

Uma mensagem pode ser retirada deste artigo: cuidado com o F.O.M.O.

Já expliquei noutro artigo o que quer dizer FOMO. E foi isto que aconteceu na Kodak, com milhares de day-traders em casa, ansiosos por premir um botão de “comprar”, qualquer que seja o valor da empresa, ou mesmo que nem saibam o que a empresa faz.

Isto vai acabar em lágrimas…

 

Saudações lucrativas,

Frederico Santarém