Select Page

Inflação

 

O que é a inflação?

Refere-se ao aumento contínuo e generalizado dos preços numa economia.

A inflação mede a variação de preços num cabaz hipotético de produtos e serviços que a população usa no seu dia-a-dia (medida pela variação do Índice dos Preços ao Consumidor). Produtos e serviços que vão desde a alimentação que consumimos em casa até aos serviços que usamos como a água e energia, passando pelo transporte, despesas de educação e saúde, comunicações, etc.

 

Inflação em Portugal

Atualmente, Portugal vive um período ótimo, em que as taxas de inflação estão em mínimos históricos.

Mas se observarmos os últimos 10 anos, verificamos que a taxa de inflação média foi na ordem dos 1%. Nos últimos 20 anos, foi cerca de 2%. Mas se estendermos o período de observação para os últimos 30 anos, então a taxa de inflação média foi de 3%.

Anos como 1978, 1979, 1982, 1983 e 1984 tiveram uma inflação superior a 20%. Em 1984 chegou quase aos 30%!!! É muito alto!

Fonte: https://www.pordata.pt/

 

Hiperinflação

É um processo descontrolado em que os preços dos produtos e serviços disparam, causando grande instabilidade financeira no país onde ocorre.

Os produtos e serviços tendem a aumentar de preço muito rapidamente, a que está associada uma desvalorização da moeda nacional e um descontrolo nas contas públicas.

 

Alguns exemplos:

Zimbabué em 2008: hiperinflação de 98% ao dia. Quer isto dizer que todos os dias o preço de uma fruta que compramos duplica. Se hoje ela custa 1€, amanhã estará a 2€, no dia seguinte a 4€, depois a 8€, e por aí fora…

Venezuela em 2018: o FMI estimou que a hiperinflação fosse atingir um milhão por cento (1.000.000%, para teres ideia de quantos zeros são). Imagina o que é viver num país em que os preços dos produtos e serviços que consomes aumentam 1.000.000% num só ano. É completamente incomportável!!!

Alemanha em 1918: Este foi talvez o período da História onde a hiperinflação foi mais grave. Entre 1918 e o final de 1923 a taxa de inflação variou um trilião por cento (1.000.000.000.000% – desafio-te a contar estes zeros todos). Este evento ficou conhecido como o “período de hiperinflação na República de Weimar”. A Alemanha vinha derrotada da 1ª Guerra Mundial e devia imenso dinheiro aos restantes países que venceram a guerra. O Banco Central imprimiu dinheiro descontroladamente para injetar na economia e satisfazer as necessidades que haviam sido criadas no pós-guerra. Isto conduziu a aumentos descabidos dos preços, de 20.9% ao dia ou 29.500% ao mês nos meses finais de 1923. Foi uma loucura!!!

Fonte: https://www.pt.wikipedia.org/ e https://www.en.wikipedia.org/

 

Porque é tão importante o conceito de inflação para os nossos investimentos?

Se tu tiveres ativos financeiros cuja rentabilidade seja inferior à taxa de inflação nesse ano, então isso significa que não estás a manter o teu nível de vida. Já não digo aumentar o nível de consumo, mas pelo menos mantê-lo.

Se este ano a inflação for de 1% isso significa que 1€ este ano compra menos produtos e serviços do que comprava o ano passado.

É mesmo importante que procures ter em carteira ativos financeiros que sejam verdadeiramente superiores à taxa de inflação, quer tu queiras manter o teu nível de vida e poder comprar este ano exatamente o mesmo que compravas o ano passado com aquele euro, ou quer tu desejes aumentar o teu nível de vida.

Falei aqui de alguns tipos de ativos financeiros que te ajudam a rentabilizar o capital acima da inflação. Isto vai permitir que para o ano que vem não tenhas tantas surpresas e não tenhas de reclamar dos aumentos constantes dos preços dos produtos e serviços que consumimos.

Imagina o que é poderes ir ao supermercado e ficares indiferente àquelas laranjas que compravas o ano passado a 0.89€ e este ano estão a 0.99€. Imagina o que é não te irritares por ver sempre os preços a aumentar. Não seria ótimo não estares sempre a reclamar desses aumentos? Precisas mesmo de valorizar o teu dinheiro para isso acontecer!

Ativos como Depósitos a Prazo, Contas-Poupança e mesmo Certificados de Aforro não são suficientes para valorizar o teu capital neste momento! Avisa os teus amigos e familiares que tenham estes produtos que estão a perder dinheiro. A rentabilidade destes produtos não cobre sequer a taxa de inflação; alguns estão com rentabilidades de 0.5%, outros 0.0% (sim, leste bem!). Se lhes adicionarmos os custos associados à adesão e manutenção destes ativos financeiros e levantamento de mais-valias, então vemos quantos dinheiro perdemos com estes produtos.

 

Aprende a rentabilizar melhor o teu dinheiro com os Investimentos Lucrativos, subscrevendo à lista.

Passarei conteúdos exclusivos aos subscritores da lista.

 

Saudações Lucrativas!

Frederico Santarém